Manifestações pró e contra Governo Federal acontecem em Florianópolis

Texto: Amanda Ribeiro e Priscila dos Anjos

Fotos: Amanda Ribeiro e Priscila dos Anjos

Movimentos a favor e contra o Governo Federal foram realizados em Florianópolis na última sexta-feira (13) e domingo (15), respectivamente. As duas manifestações foram pacíficas, sem registro de conflitos e intervenção da Polícia Militar.

O “Ato em defesa da Petrobrás, da Constituinte e dos Direitos”, organizado pela Central Única de Trabalhadores (CUT) no dia 13, reuniu cerca de 300 pessoas, segundo estimativas da Polícia Militar. As principais pautas da manifestação foram a Reforma Política e Tributária, o combate à corrupção, a defesa da Petrobrás estatal e a garantia dos direitos trabalhistas. Os manifestantes, vestidos de vermelho, também criticaram o movimento do dia 15, taxando o pedido de impeachment de golpe.

O ato começou às 14h no centro, em frente à Catedral. Os cerca de 300 manifestantes caminharam durante quase três horas até o Terminal Rodoviário Rita Maria, que “abraçaram” como forma de protesto contra a situação do Transporte Público de Florianópolis.

Além da ocupação, os membros do Sindicato em Transporte Urbano (Sintraturb) de Florianópolis, fizeram uma intervenção na rodoviária, enterrando 500 cruzes ao redor do prédio para homenagear os 50 mortos e 450 feridos em acidentes de ônibus.

Além da CUT, também organizaram e participaram do evento membros do Movimento Sem Terra (MST), de sindicatos locais e dos partidos PT e PCdoB.

[widgetkit id=7858]

15 de março

Já no dia 15, as cores predominantes foram verde, amarelo e azul. A manifestação organizada pelo Movimento Brasil Livre (MBL), teve como principal pauta o pedido de impeachment da Presidente Dilma Rousseff. A movimentação de pessoas começou por volta das 16h, em frente ao Terminal Integrado do Centro (TICEN), e reuniu cerca de 30 mil pessoas, segundo a Polícia Militar.

E não foram só as cores das roupas e as bandeiras do país que lembraram a Copa do Mundo de 2014.  O Hino Nacional foi invocado pelos organizadores no início e no final do protesto.“Vocês lembram da Copa do Mundo? Coloquem a mão no peito para cantar o Hino Nacional”, disse o manifestante que puxou o hino, do carro elétrico.

A rota previa uma caminhada do TICEN até a sede da Polícia Federal, na Beira-mar Norte. Por volta das 17h30, uma forte chuva dispersou parte dos manifestantes, que procuraram abrigo no posto de gasolina próximo ao Terminal Rita Maria e embaixo do Elevado Carl Franz Albert Hoepcke. O protesto terminou por volta das19h, em frente à Polícia Federal.

[widgetkit id=7857]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.