Curso de jornalismo oferece oficinas para jovens do MST-SC

O Departamento e Curso de Jornalismo receberam nessa quarta-feira, dia 29, 106 jovens do grupo “De Olho na Terra”, da Juventude do MST, para uma integração entre os universitários e os jovens e a realização de nove oficinas.

Os visitantes tiveram a oportunidade de aprender sobre  Jornalismo na internet, Assessoria de Imprensa, Telejornalismo, Radiojornalismo, Jornalismo Impresso, Fotojornalismo, Desenvolvimento de sites com o WordPress e Contação de histórias. Eles saíram de sua cidade, Passos Maia, no oeste de Santa Catarina, às 9 da noite da terça-feira, e depois de sete horas de viagem de ônibus, chegaram à Florianópolis. Estão alojados na ocupação  do Centro de Convivência e ficarão na cidade até sexta-feira.

Em uma das oficinas, o participante do seminário João Lucas da Cruz Baptista, com auxílio do aluno de jornalismo Matheus Alves, entrevistou o representante do Ministério da Comunicação, Diego Luiz Dorgam Aguilera. Confira abaixo o texto do jovem sobre a entrevista:

Foram abordados tópicos sobre o projeto, que está sendo realizado no estado de Santa Catarina. Possui como objetivo principal levar a tecnologia, computadores e informações para os jovens do campo, pois os mesmos possuem dificuldades para ter acesso com a tecnologia. Pois no campo o acesso a tecnologia e mas difícil que na cidade, o que vem fazendo que nossos jovens saiam do campo, e vão para a cidade a procura de uma melhor qualificação de vida.  

O projeto funciona com “chamadas”: as instituições enviam projetos com suas necessidades. O governo avalia e disponibiliza recursos através de universidades federais. O governo não chega para as instituições dizendo o que fazer, ele pergunta o que elas estão precisando. Por isso que as mesmas enviam projetos para serem avaliados.

Em 2012 na primeira chamada que foi realizada pelo projeto, ele estava atendendo 28 instituições. Em 2013 na segunda chamada atendeu 3 instituições. Atualmente o projeto está focalizado com o MST em Santa Catarina e comunidades indígenas na Bahia.

Os visitantes Jocemar Fidelski e Luis Felipe Baptista, com a orientação da graduanda Luize Ribas, fizeram o registro fotográfico das oficinas de outros cursos da Universidade e produziram uma matéria para o Cotidiano.

E os jovens Alexandre Henrique Martins da Silva e  Zenaide Fátima Miranda participaram da oficina de Jornalismo na Internet do site Cotidiano, e com a orientação da graduanda Beatriz Santini, produziram as fotos das oficinas que estavam acontecendo dentro do curso. Confira a seguir o trabalho feito por eles:

[widgetkit id=7041]

Projeto De olho na Terra

A visita faz parte do  projeto “De Olho na Terra”, coordenado pelo professor Clarilton Ribas do  Laboratório de Educação do  Campo e Estudos da Reforma Agrária (LECERA), vinculado ao Centro de Ciências Agrárias (CCA), que tem como objetivo a capacitação de agentes comunitários de comunicação. Através do contato com as ferramentas e produtos do curso de Jornalismo, a ideia é que esses agentes sejam habilitados para administrar as Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) instaladas nos assentamentos, para produzirem conteúdos em áudio e vídeo e desenvolverem um blog específico do projeto.

A coordenação geral conta com apoio de uma equipe que engloba representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), da UFSC e do Ministério da Comunicações. Estes parceiros participarão e acompanharão o planejamento, monitoramento e avaliação das atividades programadas neste projeto.

Encontro estadual da juventude do MST-SC

A visita ao curso de Jornalismo da UFSC faz parte da programação do Seminário Estadual da Juventude do Projeto de Olho na Terra que ocorre entre os dias 29 e 31 de outubro. Durante a manhã de quarta-feira os 300 jovens que visitam a UFSC participaram da cerimônia de abertura com apresentações culturais que contextualizavam assuntos do campo e luta política, como reforma agrária e transgênicos. Veja aqui o fotográfico da abertura do Seminário.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.