Trilhas de Florianópolis: Lagoa do Peri

Texto: Mariana Rosa (mari.rosa90@gmail.com)

Imagens: Natália Duane (nataliaduanedesouza@gmail.com)

No sul da Ilha, próximo ao Morro das Pedras, fica a maior lagoa de água doce de Catarina: a Lagoa do Peri. Com 23 quilômetros quadrados, a área foi transformada em Parque Municipal através do Decreto nº 1828 de 1981. Localizada a 20km do centro da capital, a Lagoa é um lugar com diversas opções de lazer. O Parque está dividido em três áreas – de cultura, preservação e lazer – possui churrasqueiras, parquinhos, passeios de caiaque, lanchonete e trilhas.

Há três trilhas: o Caminho da Restinga vai da lagoa à praia da Armação por meio de restinga, pinheiros e eucaliptos; o Caminho da Gurita, percurso mais longo, com riachos e pequenas cachoeiras; e o Caminho do Saquinho, que contorna as margens norte e noroeste. Em todas, é possível apreciar de perto áreas preservadas de Mata Atlântica e resquícios de engenhos coloniais.

Para quem vai de ônibus, é possível  chegar na Lagoa do Peri através das linhas  Costa de Dentro e Pântano do Sul, que saem do Terminal do Rio Tavares (Tirio) a cada 15 ou 20 minutos. Há um ponto de ônibus em frente à entrada principal do Parque. Para quem preferir ir de carro, há área de estacionamento.

Após percorrer as trilhas de Naufragados e Costa da Lagoa, a equipe do Cotidiano resolveu dar um descanso e percorrer uma trilha mais leve: o Caminho do Saquinho que é recomendável para quem não gosta de suar muito, crianças e pessoas idosas. Não há desnível, pedras no meio do caminho ou área de mata fechada. O espaço para a caminhada é amplo: duas pessoas podem andar lado a lado. O único cuidado é com a rota: há várias bifurcações para confundir o usuário. Ao final da trilha, dê uma passada pelo Projeto Lontra, sediado na área do parque. Mas, organize-se essa visita deve ser agendada antecipadamente.

[widgetkit id=3084]

14h35 Chegamos na sede do Parque da Lagoa do Peri após embarcar no ônibus da linha Pântano do Sul que saiu do Tirio às 14h20. Há um restaurante que serve frutos do mar, onde também é possível comprar lanches e bebidas. Outra opção para quem precisar lanchar é parar um pouco antes, no costão do Morro das Pedras, onde há barracas com caldo de cana e milho verde – e aproveitar para a apreciar a vista – nesse período inclusive com a possibilidade de ver baleias.

14h40 Depois de passar pela área de lazer, que tem churrasqueiras e brinquedos, avistamos a lagoa. Cerca de dez banhistas estão nos arredores, a maioria crianças, vigiadas da areia pelos pais. Paramos para tirar algumas fotos e depois seguimos caminhando pela margem na direção esquerda.

14h50 Passamos pela entrada das outras trilhas (indicadas com placa) e seguimos contornando a lagoa. Chegamos a  um deque de madeira colorida e atravessamos a ponte da estação de coleta de água da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan). Avançamos até a vegetação se tornar mais fechada. Aos poucos, vamos perdendo de vista a lagoa e entrando na trilha. O caminho é bastante aberto, margeado por muitos eucaliptos e pinheiros. O solo é seco e arenoso, praticamente sem obstáculos.

15h15 Caminhamos cerca de 25 minutos, sempre pela trilha principal, até chegar em uma estrada de terra, onde passam carros. Viramos à esquerda, em direção a rodovia SC-406. No final da rua há alguns trechos levemente inclinados, com areia e pedra, onde é preciso cuidar para não escorregar. (Para visitar o Projeto Lontra, vire à direita no final do trilha, caminhando cerca de 250 metros pela servidão).

15h25 Depois de avistar a rodovia decidimos voltar pela estrada, passando pelo Projeto Lontra, para refazer o contorno da Lagoa. Seguimos pela trilha, que neste trecho tem a vegetação bastante seca e muitos formigueiros, até chegar a uma bifurcação. Viramos a direita e acabamos voltando ao trecho final da trilha principal. Refazemos o caminho e seguimos em direção a rodovia, fazendo uma pausa para lanchar no meio do caminho.

16h15 Esperamos cerca de 5 minutos pelo ônibus e embarcamos em direção ao Tirio. A parada fica logo em frente a servidão, atravessando a rodovia SC-406.

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.