Unisul comanda cinema do CIC enquanto licitação não sai

Cinema do CIC Texto: Gabriel Lima (gabrielduwe@gmail.com) Muitas dúvidas surgiram após o encerramento do contrato que o Paradigma Cine Art tinha para exploração comercial do Cinema do CIC. Afinal, desde que o espaço foi reaberto após reforma, em 2011, era administrado pelo mesmo grupo, sob comando do empresário Frederico Didoné. Após três anos, 250 filmes exibidos e 48 mil visitantes, Didoné alegou que o projeto não era rentável e encerrou as atividades no Cinema do CIC em 30 de julho do ano passado. Sem a licitação pronta, a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) entregou a administração do Cinema do CIC ao o Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina (MIS). O projeto não durou muito tempo, e o espaço foi fechado novamente. Isso mudou em novembro de 2014, quando a coordenadoria do curso de cinema da Unisul se dispôs a operar a sala, retomando as atividades do cinema. Em quase seis meses de operação, o Cineclube Cinema Unisul, novo nome do espaço, exibe filmes catarinenses, geralmente premiados em edições anteriores do Florianópolis Audiovisual Mercosul (FAM) ou apoiados por editais da FCC. Segundo a organização, o objetivo do espaço é promover os filmes estaduais, que geralmente não recebem atenção do público. As sessões ocorrem de quinta a domingo, sempre às 20h. A entrada é gratuita. cinema_unisul Apesar do sucesso da parceria, que mantém o cinema em funcionamento, o contrato de operação do curso de cinema da Unisul é temporário. O acordo, realizado no ano passado, permite a concessão por seis meses, com término previsto para o fim de maio. Caso ambos concordem, existe a possibilidade de ampliação do acordo por mais seis meses. A FCC, porém, ainda não decidiu se prorrogará o contrato, e pretende tomar a decisão nos próximos dias. Além disso, ainda não há previsão para o lançamento do edital de licitação, que estabelecerá um operador fixo para o local. Para algumas pessoas que frequentavam o Cinema do CIC quando era operado pelo Paradigma, a antiga programação faz falta. “A cidade perdeu uma atração cultural com a saída do Paradigma no ano passado. A grande vantagem do Cinema do CIC é a localização e a oportunidade de poder ir a uma exposição ou museu antes de assistirem ao filme que querem”, avalia Luana Eguês, que frequenta o espaço desde 2013. Entre os interessados na licitação está o próprio Frederico Didoné, que aguarda o lançamento do edital para estudar propostas. Ele espera que o preço do aluguel da sala seja diminuído, já que o valor de R$ 2.600, cobrado no antigo contrato, tornava o projeto inviável financeiramente. Didoné é diretor do Paradigma Cine Art, que está localizado na SC-401 e exibe filmes cults, semelhantes aos apresentados no Cinema do CIC até julho do ano passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.