Rendeiras: a história de uma geração

De origem europeia, a renda de bilro chegou em Florianópolis com os colonizadores açorianos, no século XVIII, e até hoje é cultivada como patrimônio cultural da cidade. Este artesanato é resultado do trabalho de mãos habilidosas, quase sempre de mulheres, que compartilham histórias de vida semelhantes. É o caso de dona Rosana, de dona Elita e de dona Glorinha, que contaram um pouco de suas memórias sobre a renda em Santo Antônio de Lisboa, no Centro e no Sambaqui. Embora existam iniciativas para manter esta tradição viva, não se sabe ao certo qual será o futuro da renda de bilro.

Clique aqui para ler a matéria na íntegra.

galeria
Foto: Carla Mereles.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.