Mãe Mari, dona do terreiro da Favela do Siri, conta a sua história

Texto: Luara Wandelli e Vitor Shimomura
Fotos: Vitor Shimomura
1-fUYW8gBkwtxVV1ibVl3zNA
A Vila do Arvoredo, no bairro Ingleses, também conhecida como Favela do Siri, abriga uma comunidade de dezenas de famílias no meio das dunas e da mata rasteira. É lá também que está o terreiro “Caboclo Rompe-Mato” de Mãe Mari, 51 anos, que apesar de ter recebido o nome de Mário Miranda, aos sete anos já sabia que era mulher e, aos 15 anos, começou sua feitura no Candomblé, religião que depois deixou pela Umbanda.

Clique para conhecer a história de Mãe Mari e da comunidade da Favela do Siri.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.