Less is the new black: O desafio da jornalista que vai viver um ano com 50 peças de roupa

Reportagem: Larissa Gaspar (larissa.gasparcp@gmail.com) e Luiza Kons (lupekons@gmail.com)

A jornalista Daniela Kopsch era uma dessas moças que estava sempre atenta às novidades das vitrines e às promoções de roupa. O resultado aparecia todo mês no extrato do cartão de crédito: boa parte do dinheiro ia embora com as compras – o valor Daniela prefere não informar. Até que a jornalista decidiu mudar a situação, seu guarda-roupa deveria caber em uma mala e o grande desafio seria viver feliz com 50 peças de roupas durante um ano.

O que fica dentro da conta de 50 peças de Daniela são calças, saias, shorts, blusas, casacos e vestidos. Escolher as 50 peças foi fácil, ela começou separando as preferidas e essenciais. “O exercício consiste em colocar um limite no que você consome, para que o ato de se vestir seja mais consciente e as compras se tornem mais racionais”, resume. Sapatos,acessórios, lingerie, roupas de dormir, roupas de academia e roupas para ocasiões especiais não fazem parte da conta. 

Para Daniela, o difícil não é ficar só com 50 peças, mas sim parar de comprar. “É difícil frear a vontade de comprar uma coisa porque “é bonito” ou porque “está barato”. Mudar o hábito de comprar por impulso é muito mais difícil do que eu esperava”, garante. Para se manter consciente e andar na linha, a jornalista montou um blog em que posta diariamente o “look do dia”.

Confira alguns looks de Daniela:

[widgetkit id=10521]

Após 62 dias da experiência, ela conta que algumas mulheres se inspiraram na página e já estão consumindo menos. Às vezes, a gente reclama de “não ter nada para vestir” porque ironicamente temos peças demais e ficamos confusas. “Com apenas 50 peças no armário, ele parece infinito. Nunca me senti com tantas roupas!”, comemora.

infográfico

Daniela espera ser uma pessoa diferente no ano que vem. Ela quer se desintoxicar do hábito de comprar coisas que não precisa e economizar. “Com certeza, vou ter mais dinheiro no bolso para fazer várias coisas, em vez de uma pilha de roupas nunca usadas”. Acompanhe no blog a experiência.

 

Daniela Kopsch  não é a única jornalista a lançar um auto desafio por um ano:

Greta Taubert

 (Foto: Stephan Pramme/Divulgação)
Fonte: Stephan Pramme/Divulgação

Em 2013, depois de perceber que seus parentes haviam passado por sistemas que ruíram como a antiga Alemanha Oriental e o Reich de Hitler,  a jornalista decidiu ficar um ano sem gastar absolutamente nada, para ver se sobreviveria caso o capitalismo acabasse. Ela teve que aprender a fazer de tudo desde caçar até construir os próprios móveis. Depois de um ano Taubert lançou em 2014 o livro “Apocalypse Now” -.

 

Paul Miller

images
Fonte: The Verge

Ex-editor do blog  de tecnologia  Engadget, ele decidiu  ficar um ano sem usar a internet, depois de sentir que a internet estava tornando-o improdutivo. Ele se desconectou completamente dos e-mails, tuítes e do facebook. Em um  artigo publicado no “The Verge” , Miller relata que a principio se sentiu mais motivado, emagreceu sete quilos e escreveu metade de um romance. Mas, que depois se tornou anti-social e tinha pavor da caixa de correios cheia de correspondências.

Brechós são alternativas a preços altos

Uma alternativa para quem não quer gastar muito com roupas ou deseja praticar um consumo mais sustentável são os brechós. Na UFSC , todas as quartas-feiras, muitos brechós são improvisados nos gramados em frente ao Centro de Comunicação e Expressão (CCE). Eles são administrados, na maioria das vezes, por pessoas que não se sustentam apenas por essa renda e também não têm um lugar fixo, muitas na verdade só vendem na UFSC, pela praticidade e quantidade de pessoas que passam e compram.

Para saber mais sobre o assunto, você pode ler as matérias do Cotidiano sobre os brechós online e com tradicionais bazares da Ilha. Abaixo, confira algumas fotos dos brechós na UFSC:

[widgetkit id=10573]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.