Conheça os intercâmbios oferecidos pela UFSC

Texto: Luize Ribas (luizeribas@gmail.com) e Tamires Kleinkauf (tamires.crisk@gmail.com)

Os Intercâmbios na UFSC

Conhecer outros países e suas culturas é o desejo de muitos estudantes, e através do intercâmbio esse sonho pode se tornar realidade. A UFSC tem convênio com mais de 300 universidades espalhadas pelo mundo, só em 2012, cerca de 830 estudantes saíram do país para ter esta experiência de aprendizado. A Secretaria de Relações Internacionais (Sinter) é órgão responsável por organizar os intercâmbios na UFSC, disponibilizando dois programas para intercambistas: Escala Estudantil e Convênio Bilateral (Outgoing e Incoming), além do “Ciências sem fronteiras”, desenvolvido pelo Governo Federal.

Programas de intercâmbio oferecidos pela UFSC

Escala Estudantil
O programa consiste em um intercâmbio científico e cultural entre as Universidades associadas à  Associação de Universidades Grupo Montevidéu (AUGM) que existe desde 2003. A cada semestre 15 estudantes saem da UFSC com destino a países como: Argentina, Uruguai, Paraguai e Chile, além de viajarem para outros estados do Brasil. Há ajuda financeira para hospedagem e alimentação e tem duração de um semestre. Para obter a vaga é necessário que o estudante tenha concluído 40% do curso, além de ter um bom índice de aproveitamento (IA).

– Convênio bilateral
Programa Outgoing: é direcionado para os alunos que saem da UFSC para o exterior. O estudante que escolhe este programa para fazer intercâmbio não receberá bolsa, porém terá isenção da taxa de matrícula, que em algumas universidades estrangeiras pode chegar a R$ 7 mil. As inscrições são abertas duas vezes ao ano, em janeiro e julho, e o graduando deverá se inscrever no sistema com um semestre de antecedência, podendo escolher o país e a universidade na qual queira ingressar.
Ao todo são 301 universidades conveniadas com a UFSC. De acordo com Giovana Redel, coordenadora do projeto, países como França, Alemanha, Canadá e Estados Unidos são os mais procurados. Além disso, os cursos que mais buscam o programa são: Relações Internacionais, Jornalismo, Engenharia Mecânica e Arquitetura. Ela ainda ressalta que a busca pelo outgoing tem caindo por conta do programa “Ciências sem fronteiras”.

Gráfico 1

 Programa Incoming: O programa funciona da mesma forma que o “Outgoing”, entretanto, é direcionado para alunos de graduação de universidades estrangeiras conveniadas com a UFSC. Os estudantes que se candidatam ao sistema terão sua carta de motivação e currículos encaminhados aos chefes de departamento dos cursos que queiram ingressar, para que estes verifiquem se o estudante esta a apto a assistir as disciplinas solicitadas. Segundo Elenir Vieira, coordenadora do programa Incoming, os alunos deverão comprovar que tem um nível intermediário de português.

Gráfico 2-3


Programa oferecido pelo Governo: Ciências sem Fronteiras
 

É desenvolvido em conjunto pelos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e o Ministério da Educação (MEC), através do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) buscando a expansão e a internacionalização da ciência e tecnologia. Existe desde julho de 2011 e através dele o Governo pretende viabilizar o estágio de alunos para o exterior, com 101 mil bolsas em quatro anos. Os cursos contemplados por este programa são os de ciência e tecnologia como: engenharia, matemática, biologia, física, agronomia entre outros. Da UFSC, saem 300 estudantes por semestre e ficam no exterior de 12 a 18 meses.
Os critérios para seleção de candidatos são basicamente o teste de proficiência – prova para saber se o candidato está apto para falar o idioma do país para onde quer ir- e o ENEM (Exame Nacional do Ensino Médio). De acordo com Juliana Kumbartzki Ferreira, coordenadora do programa na UFSC, os estudantes recebem um auxílio moradia e alimentação, além de uma bolsa mensal que varia conforme o custo de vida do país para o qual se vai. Além disso, ela ressalta que caso o estudante não fale o idioma solicitado fluentemente ele recebe um curso de línguas por seis meses no exterior.

As experiências dos intercambistas

Do Chile para Florianópolis
As estudantes de agronomia da Universidad Catolica de Temuco, localizada no Chile, Natalia Pradel e Marcela Gonzalez, estão fazendo intercâmbio nesse semestre na UFSC através do programa Santander Universidade.  Na 9ª fase, as graduandas citam as diferenças do curso na UFSC e em sua Universidade. Clique abaixo e assista o vídeo.

Natalia e Marcela contam que se adaptaram bem ao idioma e que compreendem praticamente tudo desde o primeiro dia em que chegaram. No entanto, notam que a forma como os brasileiros se relacionam é bem diferente dos chilenos. Clique abaixo e assista o vídeo.

Florianópolis é conhecida por suas praias maravilhosas e as intercambistas chilenas não podiam vir para a Ilha da Magia sem registrar as belas paisagens.

[widgetkit id=2100]

De Florianópolis para o Chile
A graduanda de jornalismo Maila Diamante foi para o Chile no segundo semestre de 2011, através do programa Escala Estudantil. Ela conta sua experiência no país durante o período de greve e manifestações realizadas pela Confederação de Estudantes do Chile (Confech) que reivindicavam uma educação pública gratuita e de qualidade. Clique abaixo e assista o vídeo

Maila Diamante deixou os estudos um pouco de lado e foi curtir as belas paisagens em Pucón, situada a 780 km ao sul de Santiago e contém em sua paisagem um belo lago.

[widgetkit id=2099]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.