UFSC na Praça leva a universidade para a comunidade do Saco dos Limões

Reportagem e fotografia de Rodrigo Barbosa 

A terceira edição do UFSC na Praça levou a universidade para perto da comunidade em geral, dessa vez na Arena Consulado, que pertence à escola de samba de mesmo nome, no bairro Saco dos Limões. As duas edições anteriores haviam ocorrido no Centro (15/maio) e na Serrinha (8/junho). O evento que ocorreu no último sábado (31) é organizado pela APG (Associação de Pós-Graduandos da UFSC) e nasceu durante a primeira das grandes manifestações em prol da educação pública deste ano.

O UFSC na Praça surgiu com o objetivo aproximar a comunidade externa ao conhecimento que é produzido dentro da universidade. Na última edição, estiveram presentes projetos de extensão de diversas áreas da universidade: foram oferecidas orientações jurídicas, sobre gestão comunitária e mudanças climáticas. Além disso, houve uma mostra de plantas medicinais apresentada pelo Horto Didático do Hospital Universitário e uma oficina de produção de ecocadernos (cadernos feitos com materiais reutilizados), promovida pela Sala Verde. 

Uma série de laboratórios também expuseram seus trabalhos. Um em especial foi o favorito de Caio Souza Vieira, de 10 anos: “ achando legal. Eu gostei de quando eu fui ali ver uns tubarões grandões. E a moça deixou a gente a gente segurar. Foi o que eu mais gostei”, disse, referindo-se ao estande do Labitel, vinculado ao curso de Biologia. Caio e outras dezenas de crianças também se divertiram com jogos e oficinas infantis que movimentaram o ginásio durante todo o evento. 

Representante da APG, Luiz Paiva, lembrou que, para muitos da comunidade, foi o primeiro contato com os trabalhos desenvolvidos na universidade: “A gente ouviu a voz de pessoas de muita idade, que tem uma trajetória de trabalho e nos disse: ‘poxa, demorou tanto para a UFSC vir aqui’. Então a gente fica contente demais”. Paiva e outros membros da APG passaram boa parte do evento à porta do ginásio, convidando a comunidade e ouvindo o que os mesmos tinham a dizer. “Cada conversa dessa é valiosa demais. Aqui está aqui mais para ouvir do que para falar”. 

Coincidentemente, a terceira edição do UFSC na Praça ocorreu na mesma semana em que foi anunciado o cancelamento da maior exposição acadêmica do Estado de Santa Catarina, que tradicionalmente ocorre no campus Trindade – a Sepex. O fato também foi lembrado por Paiva, que lamentou o cancelamento do evento e relembrou que o UFSC na Praça nasceu justamente como forma de protesto às medidas do Ministério da Educação (MEC), que diminuiu significativamente o orçamento de universidades federais neste ano. “Esse evento com certeza demonstra a criatividade que nós vamos ter que ter a partir de agora. É o projeto de universidade que a gente quer: uma universidade popular, ligada não aos interesses do mercado, mas aos interesses desse povo”, completou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.