Compartilhando conhecimento

Written by cotidiano on . Posted in Arquivo, Reportagens

Visita de jovens assentados movimenta curso de Jornalismo da UFSC

Texto: Rafaela Blacutt (rafaelablacutt@gmail.com), Gabriele Duarte (duartes.gabriele@gmail.com) e Shirlley Ramos
Foto Gabriele Duarte (duartes.gabriele@gmail.com) e Sheila da Silva
Mapa: Merlim Malacoski (merlimiriane@gmail.com), Angélica Domingues e Shirlley Ramos
Vídeo: Pamela carbonari (pamelacarbonari@gmail.com), Ediane Mattos (edimattos@gmail.com) e André Marcos Klein.
Entrevista: Laís Souza (lai.csouza@gmail.com), Ediane Mattos (edimattos@gmail.com) e Sheila da Silva.

Na tarde desta sexta-feira, 36 jovens de assentamentos de Santa Catarina visitaram o curso de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). A finalidade era conhecer como funcionam os diversos meios de comunicação, como televisão, rádio e jornalismo online. Os estudantes foram divididos em grupos e realizaram atividades práticas na produção de materiais que foram apresentados para a turma no fim do dia.

Clique e assista a matéria produzida pelos alunos

O grupo vem de cinco assentamentos no estado: Butiá, Justino Draszweski, Norilda da Cruz, Três Rosas e Campinas, de Rio Negrinho e Araquari. A região tem cerca 250 famílias em oito assentamentos, além de 10 familias que ainda aguardam acampadas e caracteriza-se por um baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH). A maioria das famílias tem baixo desenvolvimento produtivo e estão localizados em áreas distantes com dificuldades de estradas e aparelhos de saúde, educação, armazenamento da produção, comunicação, cultura e lazer.

A visita faz parte do  projeto “De Olho na Terra”, coordenado pelo professor Clarilton Edzard Davoine Cardoso Ribas, que tem como objetivo a capacitação de agentes comunitários de comunicação. Através do contato com as ferramentas e produtos do curso de Jornalismo, a ideia é que esses agentes sejam habilitados para administrar as Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs) instaladas no assentamento, para produzirem conteúdos em áudio e vídeo e desenvolverem um blog específico do projeto. Para o professor, existe uma grande necessidade que a Reforma Agrária se aproprie de instrumentos de comunicação e informação. “Os grandes meios de comunicação estão na mão de um número muito pequeno de pessoas. Por isso queremos criar um espaço democrático, levando informações aos assentados”, completa Ribas.

Ouça a entrevista aqui

O projeto tem a parceria da Cooperativa dos Trabalhadores da Reforma Agrária de Santa Catarina (COOPTRASC), da Cooperativa Regional de Industrialização e Comercialização Luis Dolcimar Brunetto (COOPERDOTCHI) e do grupo de pesquisa Laboratório de Educação do  Campo e Estudos da Reforma Agrária (LECERA), vinculado ao Centro de Ciências Agrárias (CCA) da UFSC.

A coordenação geral conta com apoio de uma equipe que engloba representantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), e da UFSC. Estes parceiros participarão e acompanharão o planejamento, monitoramento e avaliação das atividades programadas neste projeto.

A reforma agrária em SC

O Estado de Santa Catarina tem uma população de mais de 6 milhões de habitantes em 293 municípios que compõem uma superfície de 95.286,1 km². Hoje estão assentados mais de 5.180 famílias em 133 assentamentos totalizando uma área reformada superior a 88.274,13 hectares. Segundo dados do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), ainda há 400 famílias acampadas a espera de um pedaço de terra.

Confira abaixo o mapa com a localização dos assentamentos:

[swfobj src=”http://cotidiano.sites.ufsc.br/wp-content/uploads/2012/08/assentamento2.swf” width=”700px” height=”498 px” align=”center”]

 Leia aqui algumas notícias sobre a Reforma Agrária

 Leia aqui a entrevista com o coordenador do projeto “De olho na terra”, professor Clarilton Ribas.

Trackback from your site.

Leave a comment