Projeto de biblioteca virtual criado por alunos da UFSC é um dos selecionados na primeira etapa de prêmio nacional

Texto: Luize Ribas (luizeribas@gmail.com) Vídeos: Letterbe

A tecnologia é cada vez mais utilizada como aliada nos estudos e foi com o objetivo de criar um ambiente de estudos na web que Ivan Biava, graduando da 6ª fase de Engenharia de Produção Elétrica, e Franco Farias, da nona fase d Engenharia Elétrica, criaram uma plataforma na internet chamada Letterbe, um projeto de biblioteca virtual que prevê a interação entre os usuários a partir de ferramentas desenvolvidas na plataforma. A Letterbe é um dos 150 projetos selecionados na primeira fase do Prêmio Santander Empreendedorismo, que visa estimular o lado empreendedor dos acadêmicos brasileiros.

“Nós inscrevemos no Prêmio Santander porque queremos ver nossa startup consolidada, atingindo o nosso objetivo e impactando a sociedade, para isso precisamos de investimentos e recursos para podermos crescer”, comenta Biava. Os finalistas do prêmio também recebem curso de empreendedorismo e mentoria de empreendedores renomados.

O principal diferencial da Letterbe é a possibilidade dos usuários interagirem entre si. Para Biava, o aprendizado é estimulado nessa rede de estudantes que trocam informações. Na biblioteca virtual, quando o estudante tem uma dúvida ele cria uma sala de estudos, e como várias pessoas têm acesso aos mesmos livros, alguém provavelmente saberá a resposta para esse questionamento, havendo uma troca de informações e conhecimento cada vez maior. Se a questão não for esclarecida nessa espaço, ele a envia para o espaço colaborativo da Letterbe em que qualquer pessoa no Brasil pode acessá-la respondê-la.

Veja o vídeo explicativo sobre a LETTERBE feito pelos criadores da plataforma Biava e Farias:

Biava se diz um apaixonado por livros e conta que desde quando começou a cursar a universidade sentia vontade de produzir algum projeto. Esse desejo de ser empreendedor também era compartilhado por Farias. A ideia de criar a Letterbe surgiu após observarem que a busca por livros na biblioteca convencional é uma dificuldade para os estudantes devido a pouca oferta ou falta de edições mais recentes. Então pesquisaram cientificamente o assunto e comprovaram essa hipótese. O projeto começou a ser desenvolvido há cerca de um ano com intuito de resolver esse problema. A intenção é  vender a plataforma para diversas universidades pelo país, principalmente para as particulares que podem ter uma limitação maior em relação ao espaço físico. A instituição que comprar o uso da Letterbe pode dispor de ebooks e também adicioná-los à biblioteca, assim seus estudantes terão acesso à plataforma. O uso individual também está previsto no projeto, onde a pessoa teria que fazer uma assinatura, podendo ler trechos, alugar livros ou comprá-los.

A prioridade inicial da Letterbe será de livros didáticos dos cursos de Direito, Contabilidade, Pedagogia e Administração que, de acordo com Biava, têm o maior contingente de estudantes. No futuro, o objetivo é expandir para todos cursos universitários. Também estão conversando com editoras e faculdades de ensino à distância para aumentar o número de beneficiados com a Letterbe.

Esse vídeo demonstra como seria o uso da plataforma, que já pode ser utilizada em uma versão teste se realizado o cadastro no site.

 

Se você gostou do projeto e quer que ele seja um dos classificados na segunda fase do Prêmio Santander Empreendedor vote através do júri popular.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.