Medidas na prevenção de acidentes em Florianópolis

Texto: Luíza Giombelli (luizamgiombelli@gmail.com)

O trânsito de Florianópolis está cada vez mais complicado, e apesar das medidas que estão sendo tomadas nos últimos tempos para tentar melhorá-lo, o número de acidentes não diminuiu de maneira tão expressiva como o esperado. São muitos acidentes envolvendo, geralmente,  veículos em alta velocidade e motoristas embriagados. Na capital, os radares e a Lei Seca são as tentativas do governo de solucionar o problema.

Radares

Desde a sua instalação no dia 4 de junho de 2013, os radares já registraram 23517 infrações. Dessas, 1880 são por excesso de velocidade em até 20% acima do permitido, o que significa uma multa média, no valor de R$ 85,12 e 4 pontos na carteira de motorista. São 120 aparelhos, instalados em 17 pontos da cidade, sendo que 47 são radares para excesso de velocidade e os outros 73 para avanço de sinal vermelho. Confira abaixo os dados do IPUF sobre esses dois meses e meio com os radares funcionando em Florianópolis.

 

Lei Seca

Desde dezembro do ano passado, a Lei Seca já está mais rígida, não aceitando nenhuma dosagem de álcool no sangue. A campanha “Balada pela vida. Álcool e direção, mistura fatal” é uma das medidas que ajudam na prevenção contra os acidentes de trânsito que acontecem por causa do efeito do álcool no organismo dos motoristas. Criada pelo DETRAN, em parceria com a Guarda Municipal de Florianópolis e a Polícia Militar, a campanha existe de desde o dia 3 de maio de 2013, e tem como objetivo a conscientização da população sobre os risco de dirigir alcoolizado. Os agentes da guarda municipal realizam a fiscalização e a equipe do DETRAN cuida da parte educativa, que consiste na distribuição de panfletos com informações sobre a Lei Seca, adesivos para os carros e a realização do teste do etilômetro descartável. Outras formas de tentar evitar esse tipo de acidente foram a instalação de novos pontos de táxi e vans pela cidade – o que faz com que as pessoas que ingeriram álcool tenham uma alternativa de transporte – e a intensificação nas blitze da Lei Seca.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.