Estudantes se mobilizam para tratamento de UFSCão

Texto: Bruna Andrade (brunandrade92@gmail.com)
Fotos: Rosângela Menezes e Bruna Andrade

O semestre começou sem a presença do UFSCão mais famoso do campus. O elegante e preguiçoso Frederico, mais conhecido como Fred, foi diagnosticado com um câncer e está em tratamento. A comunidade universitária mobilizou-se para ajudar o cachorro que sempre acompanhou os estudantes, seja na fila do RU, nos happy hours ou até mesmo nos bares próximos a UFSC.

10615784_699403463484074_32349786_n

Os sintomas da doença de Fred começaram a aparecer no fim do semestre passado, quando o olho esquerdo  começou a ficar inchado e avermelhado. A voluntária que auxilia nos cuidados dos cachorros que vivem no campus da universidade iniciou um tratamento com anti-inflamatório. Porém, cinco dias depois não houve melhora  e o cão foi levado para fazer uma série de exames em uma clínica veterinária. Os resultados indicaram que Fred tinha um canciroma, tumor maligno.

Os alunos do curso de Letras-Inglês Bianca Orrego, Débora Amalfi, Marília Galvão e Felipe de Jesus acompanharam de perto a descoberta do câncer do UFSCão. Ao saberem que seria necessária uma cirurgia para remover o olho prejudicado, decidira arrecadar verbas para bancar os custos da operação. “Convidamos amigos do curso, cerca de 200 pessoas, e pedimos para espalharem a notícia, mas, sinceramente, não pensamos que iria chegar a esse número de participantes”, Amalfi refere-se ao evento criado no Facebook que mobilizou três mil pessoas. Foi através da rede social que os alunos lançaram a campanha #ForçaFred e divulgaram pontos para coleta de doações e uma conta bancária para quem não pudesse comparecer.

A arrecadação começou na primeira semana de agosto, mas o quadro de Fred piorou. O câncer avançou do olho para a boca. Depois de mais alguns dias de tratamento, a cirurgia foi realizada e o olho retirado, o que diminuiu a dor do cão. A melhora foi rápida, o que permitiu que esta semana ele começasse a quimioterapia.

As doações alcançaram o montante de R$5950. O custo da operação foi de R$4216, mas os alunos reservaram uma quantia de cerca de R$1700 para os gastos com a quimioterapia e aproveitaram para quitar algumas dívidas de tratamentos de outros cachorros da UFSC.

No momento, Fred está na casa de uma voluntária e a estimativa é que ele viva cerca de um ano. “Quando melhorar, ele vai continuar por lá para ter um fim mais tranquilo. Queremos dar qualidade de vida para o Fred, que viveu todos esses anos na UFSC”, conta Amalfi.

Catatau

Monumento CatatauO mais conhecidos UFSCães de todos os tempos foi Catatau. Abandonado no campus em 1997, ainda filhote.O cachorro cresceu em meio aos estudantes. Participava dos atos dos alunos, fosse nos protestos ou nas festas. Um dos episódios mais conhecidos foi quando os estudantes ocuparam o gabinete da reitoria e Catatau sentou-se na cadeira do reitor.

O UFSCão foi encontrado morto em um dos córregos da universidade em julho de 2009. A suspeita era de que ele foi vítima de envenenamento, mas como na época não havia câmeras de segurança, o caso não teve como ser investigado. A morte causou grande comoção entre os estudantes e Catatau ganhou um monumento em frente ao Centro de Comunicação e Expressão (CCE).

 

UFSCães

Os UFSCães são cachorros que foram abandonados por seus donos no campus da universidade. Estes animais dependem de alguns voluntários, que se mobilizam para dar comida, banho e cuidar do tratamento deles.

O abandono de animais é crime do Código Penal e os maus tratos (que incluem o abandono, agressão e manter preso) é crime ambiental. Denuncie registrando um Boletim de Ocorrência na Delegacia da Polícia Civil mais próxima. Solicite que a delegacia encaminhe o B.O. para a Diretoria de Bem-Estar Animal.

box fred

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.