Entrevista Spotted UFSC

Por que vocês decidiram criar a página?

Eu, idealizador(a) da página, vou fazer intercambio acadêmico no semestre que vem e ao procurar páginas da universidade de destino me deparei com o Spotted deles. Primeiro achei que fosse exclusivo à universidade, mas ao pesquisar, descobri que várias universidades têm páginas semelhantes e que o fenômeno só cresce. Achei uma ideia muito divertida e prática, considerando que já aconteceu comigo várias vezes: segurar um olhar por alguns segundos e depois perder “pra sempre”.
A página iniciou se chamando Conexões Perdidas UFSC, nome inspirado pela seção Missed Connections do Craigslist, mas após a descoberta das páginas de outras universidades, trocamos o nome para se encaixar no padrão. E foi aí que a página começou a disparar. Em uma semana os seguidores da página passaram de 46 para mais de mil. Naquela semana não foi feita nenhuma promoção da página, além dos próprios posts, que ainda eram reduzidos e que acabavam por promover a página. Um dia estava na fila do RU e meu amigo me apontou um cartaz de divulgação da página. O engraçado é que não fui eu e nem ninguém que eu conheço que fez. Tinham vários cartazes espalhados! Atribuímos a alguém que estava doido pra encontrar a pessoa pretendida.

 Por que escolheram o Facebook e não um site/blog?

A administração e a difusão pelo Facebook são bem mais simples do que por um blog. Acho que, hoje em dia, muitas das informações veiculadas na internet têm se concentrado na rede. Acho que muita gente também que não quer  ter “trabalho” acessando um blog. No caso da nossa página, quanto mais pessoas curtirem, mais fácil delas se encontrarem.

Quantas mensagens recebem por dia?

Varia bastante. Em dias normais diria que uma média de sete ou oito, mas em dias depois de festas a página sempre bomba. Nos dias de mais sucesso da página, chegamos a receber mais de 20 mensagens.

Quanto tempo gastam administrando a página por dia?

No começo era sempre quando eu podia, mas obviamente comecei a não dar conta, pois a demanda cresceu tão rápido que nem deu tempo de pensar em como administrar. Infelizmente, o tempo é curto. Na segunda semana já acumulavam 100 mensagens e o atraso foi inevitável, tive que recrutar uma pessoa. Agora consegui expandir os administradores e somos sete (CSE e CCE), sendo quatro que tem trabalhado com maior frequência. Estamos tentando recuperar o tempo perdido.

Fazem algum tipo de moderação (exemplo: deixam de postar alguma matéria, mudam alguma palavra)?

Essa semana tivemos um caso de uma mensagem que nos pareceu ofensiva e pedimos que a pessoa mandasse outra. Nas diretrizes da página pedimos que não nos enviem mensagens de cunho sexual extremamente explícitas. Quanto a erros de português, tem vários! Mas a gente não se sente tão mal, pois é a pessoa que está escrevendo à outra, de um jeito ou de outro.

Vocês têm retorno das pessoas? Elas agradecem/contam se acharam alguém?

Tem bastante gente que agradece, elogia a ideia, mas a gente vê se a pessoa foi encontrada pelos comentários. Não sabemos depois disso se eles conversaram. Muitos mandam mensagens reclamando da demora, outros mandam perguntando quem mandou uma mensagem sobre eles, mas não revelamos nada a ninguém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.