Em evento de campanha, Dilma discursa para apoiadores no CentroSul

Texto e fotos: Guilherme Longo (guilherme.longo93@gmail.com)

Na manhã desta sexta (17), a candidata a reeleição pelo Partido dos Trabalhadores, Dilma Rousseff, cumpriu agenda de campanha em Florianópolis, em comício realizado no CentroSul. O clima desde cedo era de festa. A militância, aglomerada na frente das portas de entrada, cantava as músicas da candidata enquanto bandeiras eram distribuídas aos presentes.

A agenda na cidade na cidade se iniciou com uma reunião com prefeitos do estado que apoiam a sua campanha. Inicialmente à portas fechadas, após a abertura para a imprensa, uma primeira rodada de discursos teve o prefeito de Florianópolis, César Souza Júnior, o governador do Estado, Raimundo Colombo, o Vice-Presidente Michel Temer e a presidente Dilma. As falas foram marcadas pela importância do apoio dos prefeitos e do governo à candidata, sendo uma relação de reciprocidade.

Depois, Dilma foi o encontro com a militância e simpatizantes do partido e da candidata. Ao entrar no saguão principal do Centro de Convenções, foi ovacionada pelas 4.000 pessoas que a aguardavam, mesmo com o atraso de quase uma hora. Centenas de bandeiras se agitavam no ar enquanto gritos de “É um. É três. É Dilma outra vez” ecoavam.

O primeiro a fazer o uso da palavra foi o vice-presidente Michel Temer. Temer foi breve, dizendo que precisava chegar à Curitiba antes de Dilma para poder recepcioná-la.  Saiu afirmando ter certeza de que seria novamente vice, com a reeleição de Rousseff. Entre aplausos e vaias, o senador eleito Dário Berger foi o seguinte a discursar. Expressou gratidão ao governo federal, lembrando a parceria feita com o então Presidente Lula sobre o projeto do Maciço do Morro da Cruz – que consiste em obras de infraestrutura, transporte, recuperação ambiental e coleta de resíduos sólidos em 16 comunidades, com uma população estimada de 22.500 pessoas.

[widgetkit id=6846]

O governador reeleito, Raimundo Colombo, destacou a presença de pessoas de diversas ideologias, com pontos de vistas diferentes, apontando o momento como de extrema importância. Lembrou também da campanha de 2010, quando estava no lado oposto de Dilma. Em seu discurso, comentou sobre os projetos realizados em conjunto com o governo federal nos últimos quatro anos, como o perdão das dívidas de Imposto de Renda das universidades comunitárias, a intervenção para a exportação de carne suína de produtores catarinenses, as reformas da BR101 e o auxílio para a construção de barragens para conter efeitos de enchentes. Concluiu pedindo empenho da militância, para que busquem votos para a candidata nessa semana restante de campanha.

Mesmo aparentando estar cansada (após o debate de ontem no SBT, a candidata teve uma queda de pressão e precisou de ajuda), Dilma discursou por aproximadamente 30 minutos. Iniciou sua fala dizendo estar emocionada com o carinho recebido da população catarinense: “Eu estou comovida com essa manifestação. Vocês tocaram o meu coração. Muito me anima essa recepção”.  Entre coros de “Dilma, eu te amo”, “Dilmãe” (em homenagem ao perfil Dilma Bolada), e outras canções, comentou algumas propostas, como o foco na educação com as verbas vindas dos royalties do petróleo, a melhora nos serviços públicos, como a saúde, destacando mais uma vez a programa do Mais Especialidades.

Em um dos pontos mais importantes de seu discurso, propôs uma mudança na Constituição e a revisão do Pacto Federativo, para que a União possa agir juntamente com os estados, com uma ação conjunta de todas as instâncias da polícia (civil, militar, federal, estadual). Também listou feitos do governo petista, como a redução de juros e do desemprego e o aumento da oferta de vagas em universidades federais. Elogiou o trabalho do governador Raimundo Colombo, dizendo ser um político comprometido e preocupado com a população. Disse também que deseja ser reeleita para ver a conclusão de obras como a duplicação da BR101, a Ponte de Laguna, a construção das novas fábricas da BMW e a criação do pólo tecnológico da montadora. Finalizou falando sobre a importância de um governo dar atenção aos menos favorecidos, dizendo estar feliz que em seu governo e no de Lula, milhões de pessoas conseguiram atingir o patamar de classe média.

Assista ao trecho final de seu discurso para a militância e simpatizantes do PT:

A última etapa da visita foi uma coletiva de imprensa. Devido ao atraso na programação e ao fato de estar “estouradésima”, respondeu a algumas perguntas. Comentou sobre o desmaio no debate do SBT, afirmando estar bem, que passou mal apenas por estar com fome. Na primeira resposta, criticou o andamento dos debates, que se tornaram menos propositivos do que deveriam ser, mas que não irá fugir do que vier. Quando questionada se Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobrás preso por denúncias de corrupção na estatal, teria sido indicado para ser Ministro da Cidades, disse não saber da existência disso e afirmando que não indicaria ele ao cargo: “Ele nunca foi pessoa da minha confiança”.

Após a coletiva, Dilma se encaminhou ao aeroporto para seu próximo compromisso da agenda de campanha: um encontro com a militância do PT em Curitiba.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.