Conheça o Laboratório de Biomecânica da UFSC

Texto e fotos: Guilherme Longo (guilherme.longo93@gmail.com)

Referência do Ministério da Saúde na análise de próteses, o Laboratório de Biomecânica do Hospital Universitário da UFSC é um dos mais importantes nas pesquisas da área. Supervisionado pelo professor Carlos Rodrigo Roesler, do departamento de Engenharia Mecânica, a função da equipe é a realização de pesquisas de melhorias e desenvolvimento de próteses cardiovasculares e ósseas.

O Laboratório teve início com uma parceria entre os departamentos de Engenharia Mecânica e Medicina, em 2005. Nesse período, o professor Carlos Rodrigo estava realizando as pesquisas para a sua tese de doutorado, sobre a adaptação óssea a implantes de quadris. Ao ter contato com um professor chefe do departamento de ortopedia, foi possível perceber a demanda de linhas de pesquisa dentro da área de biomecânica. Inicialmente, os trabalhos desenvolvidos focavam nas fraturas ósseas e desgastes de próteses. A montagem do laboratório, feita após a conclusão do doutorado de Carlos, se baseou em modelos americanos e europeus, que estavam entre os mais avançados do mundo.

De acordo com o professor Carlos, a principal função do Laboratório é a análise e desenvolvimento. “O momento é de entender como funcionam esses materiais e propor novas alternativas de tratamento. A gente investiga as técnicas cirúrgicas e a partir daí analisamos os implantes que existem no mercado”, afirma. O principal objetivo das pesquisas é melhorar a eficácia dos tratamentos cirúrgicos que envolvem próteses.

Além das parcerias com o governo federal, o laboratório também possui parcerias com empresas privadas. Através do programa “Pública Finep”, feita para realizar parcerias de cooperação entre entidades públicas e privadas, parte dos recursos do local vem do mercado. Isso permitiu cooperações com indústrias brasileiras das áreas de ortopedia e cardiovascular.

As análises são realizadas através de normas fixadas por grupos de trabalhos nacionais e internacionais como a ABNT e a ISO. O foco é buscar a eficácia e a segurança dos produtos lançados no mercado. Os testes realizados colocam as próteses em situações de uso cotidiano, simulando condições próximas da realidade. Um exemplo são os implantes mamários de silicones, cujas análises emulam, no período de uma semana, aproximadamente dez anos de uso do mesmo em uma pessoa. Mas as inovações tecnológicas, segundo Carlos, se colocam como um problema, por não possuírem métodos de verificação criados, o que estende o trabalho.

Para a realização de todas as funções, o laboratório conta com uma equipe grande. Atualmente, cinco docentes das áreas de Engenharia Mecânica, Engenharia de Materiais e Química coordenam os trabalhos. Entre estudantes, são mais dez alunos de Mestrado, cinco de Doutorado, um de Pós-Doutorado, 13 estudantes de graduação em iniciação científica, além de diversos voluntários. Também possuem cinco engenheiros e três técnicos que atuam nos projetos.

A atual instalação do Laboratório de Biomecânica está localizada no Hospital Universitário, ocupando um andar inteiro em um dos prédios. Nos 327m2 estão presentes diversas máquinas que realizam os testes com implantes e próteses cardiovasculares e ósseos. Confira na galeria abaixo algumas das máquinas existentes no local.

[widgetkit id=7466]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.