Comida de rua ganha variedade com a chegada dos food trucks

Texto: Luize Ribas e Marina Gonçalves

Fotos: Amanda Ribeiro

A tendência dos food trucks é explicita: cada vez mais presente na mídia brasileira e no cotidiano de cidades como São Paulo, em que um movimento para aprovação de lei que regulamentasse o comércio de comida de rua mobilizou muita gente – desde empresários e profissionais relacionados, como chefs de cozinha, a pessoas que queriam melhores opções, considerando cardápio, qualidade e preço, de alimentação na rua – até a lei entrar em vigor em 2013, sendo a primeira desse tipo na legislação brasileira.

Depois de a capital paulista ter regulamentado a circulação dos food trucks, outras cidades, como Porto Alegre, começaram a planejar uma legislação de comida de rua que se adequasse ao conceito desses carros adaptados, que têm como uma das principais bases o fato de se movimentarem pela cidade e oferecerem pratos personalizados. Outra característica que define os trucks é a especialidade: há restaurantes de comida italiana, japonesa ou hamburgueria.  Florianópolis também não ficou para trás nessa tendência, e já tem um projeto de lei (15933/2014) em tramitação na Câmara, de autoria do vereador Edimilson Pereira, para regulamentar a circulação dos trucks.

Mudança na legislação

Atualmente, a equipe do vereador Pereira faz algumas alterações no projeto de lei original, adaptando-o de acordo com discussões que tem com empresários que já investem na criação de food trucks na cidade e com cidadãos ligados a esse meio gastronômico.

Uma das alterações é sobre a mobilidade dos trucks. No original está previsto que eles fiquem em locais fixos, mas o objetivo é que transitem pela cidade de forma organizada. Uma das alternativas encontradas é a criação de uma espécie de rota dos trucks em Florianópolis, onde determinados locais públicos seriam destinados a receber os veículos, que andariam de ponto em ponto para poder vender seus produtos na maior quantidade de lugares possíveis. Isso ainda está em discussão, mas o certo é que a equipe que está cuidando do projeto tem como principal objetivo garantir a mobilidade dos veículos, sua especificidade.

Outra diferença da atual lei, a 2496/1986, que regula o comércio de comida na rua, é que não será baseada em licenças com um número estabelecido anteriormente por região. Assim, quando um food truck ou qualquer outro comércio de alimentos for se legalizar, passará por uma fiscalização parecida com a de estabelecimentos tradicionais sem um número definido. Essa mudança, segundo a equipe do vereador Ed Pereira, pode aumentar os números do negócio e diminuir a burocracia envolvida. Depois de o projeto de lei passar por todas as alterações e Comissões da Câmara, ele irá para votação no Plenário e, se aprovado, será encaminhado ao prefeito. A estimativa é que entre em vigor em 2015.

Enquanto não há alteração na legislação, os food trucks já existentes em Florianópolis devem ficar em locais privados e não em regiões de uso comum, como praças – com exceção de eventos que ocorram em locais públicos. As discussões em torno do PL foram fomentadas principalmente após a criação do evento “Food Truck Experience” programado para o dia 22 de novembro.

Evento

Felipe Nyland e Thiago Belluf, engenheiros formados na UFSC, sempre gostaram de cozinhar e queriam trabalhar em um negócio próprio no fim de semana, algo diferente dos empregos que têm atualmente. Sabendo da tendência internacional dos food trucks e percebendo que essa tendência está chegando ao Brasil, decidiram que ter um food truck seria uma boa ideia. A especialidade ainda não pensaram, mas gostariam que fosse um alimento fácil de preparar, rápido e gostoso; ou seja, tudo que a comida de rua pede.

Pesquisaram sobre a legislação da cidade e viram que não previa a comercialização em food trucks. Como já tinham experiência com eventos, decidiram criar inicialmente algo pequeno, para ver como a cidade reagia à proposta e aglutinar outros empresários que pretendiam investir no ramo. A Secretaria de Turismo comprou a ideia do Food Truck Experience e ajudou na parte mais burocrática da organização do evento. Depois de uma reunião com a Prefeitura, foi decidido o local: o Trapiche da Beira-mar Norte.

O evento rapidamente tomou grande proporção: em dois dias, já havia 4 mil confirmados no Facebook; hoje já são mais de 8 mil. A ideia ganhou como sobrenome Experience, para estimular o empreendedorismo e trabalhar o conceito ainda novo de food truck na cidade. Mesmo com a prioridade para os restaurantes que já funcionam em trucks, o encontro gastronômico também vai abrir espaço para restaurantes que queiram oferecer um cardápio adaptado para cozinhas móveis – que serão apresentados em uma tenda. As despesas de estrutura, segurança e produção serão pagas pelas inscrições dos chefs. O valor é de R$900 para quem já tem truck e R$1200 para quem não tem e vai usar tendas com cenário de truck para servir.

Os trucks e restaurantes que participarão estão sendo anunciados aos poucos, mas o principal objetivo dos organizadores é ter a maior variedade possível de pratos: desde japonesa a cachorro-quente gourmet. No espaço reservado para o evento, haverá entre 15 e 25 veículos.

Os idealizadores já consideram o evento um sucesso por causa dos desdobramentos de sua criação: a discussão com o vereador Edimilson Pereira sobre o projeto de lei para regularizar o negócio e a criação de uma associação com os donos de food trucks.

 Associação Floripa Food Truck

A Associação Floripa Food Truck foi criada em setembro deste ano para que proprietários de food trucks da cidade tratem dos assuntos relacionados à categoria. Segundo o presidente Geovane Melo, sócio de um truck, a associação participa das discussões sobre o Projeto de Lei e deve criar o site Guia Floripa Food Truck, que vai informar a localização dos trucks. Enquanto o site não está pronto, os anúncios são feitos na página do facebook da Associação.

Quem também usa a tecnologia como aliada são os donos do food truck de comida japonesa Japan Food Truck, inaugurado na última sexta-feira, 18 de outubro. O casal Geovane Melo e Karine Mie Kosokabe já tinham experiência em trabalhar com food trucks em São Paulo e decidiram abrir um negócio em Florianópolis. Os pratos são feitos com receitas tradicionais e os molhos produzidos artesanalmente. Os preços variam entre R$ 10 e R$ 30 e o truck ficará estacionado principalmente na Lagoa da Conceição. Na página do facebook e no site, irão informar os pratos do dia e a localização do veículo.

[widgetkit id=6937]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.