Chapa “UFSC +” pretende revitalizar a academia e melhorar a função social da Universidade

Texto, fotos e vídeo: Juliana Fernandez (julianafernandez94@gmail.com) e Marina Simões (marinasimoes31@gmail.com)

Carlos Alberto Marques e Edson Roberto De Pieri, candidatos a vice-reitor e reitor, respectivamente

A chapa “UFSC +” é a quarta a ser entrevistada pelo Cotidiano. Composta pelos professores Edson Roberto De Pieri, vice diretor do Centro Tecnológico e Carlos Alberto Marques,  coordenador do Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica, a chapa 84 quer a revitalização acadêmica, o resgate da confiança da comunidade universitária e o melhorar o desempenho da função social da universidade.

Edson De Pieri, candidato a reitorAs principais propostas são reorganizar as estruturas da UFSC, criar superintendências executivas e administrativas, incentivar mudanças curriculares, valorizar e dar suporte às atividades artísticas, esportivas e culturais, fortalecer as empresas juniores, equipar os cursos de Cinema e Artes Cênicas, aumentar o número de editais de extensão para estimular a participação do aluno, apoiar a capacitação de dirigentes institucionais.

“O ensino, pesquisa e extensão são a base da universidade moderna”, comenta Edson De Pieri. O candidato a reitor reforçou ainda que o ensino deve ser de qualidade e o aluno deve ter as melhores condições de aprendizado possível. Por meio das pesquisas e dos projetos, a universidade demonstra sua capacidade técnica e científica para resolver problemas. Através da extensão o que é produzido e se relaciona diretamente com aquilo que pode contribuir com a sociedade e seus componentes.

Carlos Alberto Marques, candidato a vice-reitorQuando questionados sobre a relação e o diálogo com os estudantes, os candidatos afirmaram que a reitoria estará sempre aberta  para atender os alunos e suas reivindicações. “Outro aspecto é o profundo respeito à liberdade de manifestação e organização estudantil. O movimento estudantil deve ser autônomo para manifestar suas posições e isto é um pilar da democracia universitária”, diz Carlos Alberto Marques.

A marca de inovação da chapa é a descentralização administrativa. “A gente vai aproveitar a reforma administrativa para fazer profundas mudanças do ponto de vista das pró-reitorias e dos centros, de tal forma que tenhamos uma gestão executiva eficiente, liberando o reitor para traçar políticas para a universidade e deixar o dia-a-dia a cargo de quem conhece”, explica o candidato a reitor. Segundo Carlos Alberto Marques, a reestruturação da administração também irá auxiliar a universidade a desempenhar melhor o seu papel social e devolver para a sociedade o que está sendo investido.

Na próxima terça-feira, dia 13, o Cotidiano entrevista os professores Irineu Manoel de Souza e Mônica Aparecida Aguiar, candidatos a Chapa 85 – “Movimento Somos Tod@s UFSC”. Acompanhe e compartilhe a cobertura as Eleições UFSC/2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.