Alunos da rede pública expõem na UFSC seus cartazes de combate ao preconceito

Texto e fotos: Fernanda Struecker (fe.struecker@gmail.com)

O VI Concurso de Cartazes sobre Trans-Lesbo-Homofobiase e Heterossexismo nas escolas, realizado pelo Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades (NIGS), está em exposição até sexta-feira, 27 de junho, no hall da reitoria da UFSC. A competição foi realizada nas escolas públicas de Santa Catarina, com alunos de ensino fundamental, médio e ensino para Jovens e Adultos. Sob a orientação de professores, os estudantes discutiram o tema da violência contra pessoas não-heterossexuais e, em grupos de até 5 integrantes, elaboraram cartazes de combate a esse tipo de violência. O Concurso de Cartazes, realizado desde 2007, já teve a participação de 74 escolas, 97 docentes e mais de 2000 estudantes.

Os cartazes produzidos pelos alunos foram exibidos nas suas respectivas escolas e os melhores trabalhos foram selecionados para a exposição na UFSC – onde concorrem a prêmios em diferentes categorias. As categorias de premiação são: prêmio popular facebook (ganha quem tiver mais curtidas na página do facebook); presencial (votação no hall da reitoria, nas categorias ensino fundamental, médio e jovens e adultos) e prêmio popular arco-íris (concorrem cartazes que não foram selecionados para integrar a exposição na UFSC).

O resultado do concurso será divulgado no auditório da reitoria no dia 27 de junho, às 14h. As equipes vencedoras serão premiadas com uma viagem para o Parque de diversões Beto Carreiro World. Os segundos colocados ganharão entradas para o cinema. Os professores concorrem na categoria “Educador/Educadora Destaque em Gênero e Sexualidade”, na qual o vencedor ganhará um tablet. Além disso, todos os docentes e alunos ganharão um certificado de participação. Confira nas fotos alguns dos trabalhos expostos na UFSC:

[widgetkit id=5376]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.