Do poeta ao pintor: museus do centro de Florianópolis resgatam nomes da cultura da Ilha

Written by cotidiano on . Posted in Arquivo, Reportagens

Texto e fotos: Bruna Andrade (brunandrade92@gmail.com)

Quando o turista pensa em Florianópolis, a primeira atração que vem a mente são as belas praias. Mas nem só de natureza é feita a capital catarinense . No centro da cidade, dois museus são boas opções para quem quer conhecer um pouco mais da cultura local: o Palácio Cruz e Sousa e o Museu Victor Meirelles.

O Museu Histórico de Santa Catarina, mais conhecido como Palácio Cruz e Sousa, foi inaugurado em 1979, na antiga Casa da Alfândega. Com a mudança da sede do governo, em 1986, o museu foi transferido para o prédio que leva o nome do grande poeta de Florianópolis. O ponto turístico resgata a história de Cruz e Sousa e dos governantes que atuaram no Palácio.

A construção é do século XVIII, época em que foi criada a Capitania da Ilha de Santa Catarina, e foi sede da Casa do Governo. A última grande reforma do Palácio aconteceu no século XIX e, desde então, a arquitetura é preservada. Atualmente o prédio passa por uma restauração, que visa preservar as características da arquitetura histórica.

O poeta que dá nome ao prédio foi um dos maiores representantes do simbolismo na literatura brasileira. Nascido em 1861, na então Desterro, João da Cruz e Sousa era filho de escravos alforriados. Escreveu livros e colaborou com jornais e revistas até sua morte, em 1898, por tuberculose.

O ingresso custa R$5, exceto aos domingos, quando a entrada é gratuita. O local é aberto de terça à domingo, das 10h às 18h.

O Museu Victor Meirelles funciona há 55 anos, na antiga casa do pintor. O prédio que preserva a arquitetura típica do século XIX hoje é patrimônio histórico nacional.

Nascido em 1832, Victor Meirelles de Lima é um dos mais célebres pintores do Brasil, tendo frequentado a Academia Imperial de Belas Artes. Dentre suas obras constituídas de quadros históricos, retratos e panoramas, está a “Primeira Missa no Brasil”. A tela já foi exposta no Salão de Paris em 1861 e atualmente faz parte do acervo do Museu Nacional de Belas Artes, no Rio de Janeiro. O artista faleceu em 1903.

O acervo conta com obras de Meirelles, incluindo os esboços de grandes pinturas como “Batalha dos Guararapes” –  atualmente exposta no Museu Nacional de Belas Artes, e quadros de artistas da mesma época e que conviveram com o catarinense. A entrada é gratuita e o horário de funcionamento vai de terça à domingo, das 10h às 18h.

Tags: , , , ,

Trackback from your site.

Leave a comment