Açúcar: o doce que adoece

Written by cotidiano on . Posted in Arquivo, Ciência, Reportagens

Texto e arte: Juliana Fernandez (julianafernandez94@gmail.com)

Uma pesquisa feita em 2013 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e divulgada no dia 21 de agosto deste ano, mostrou que a obesidade atingia um em cada cinco brasileiros e que cerca de 82 milhões de pessoas, mais que a metade da população estava acima do peso. O estudo mostrou ainda que a porcentagem de mulheres obesas passou de 14% para 25,2% em dez anos. A obesidade é o acúmulo de gordura no corpo causado pelo consumo excessivo de calorias na alimentação e um dos carboidratos mais consumidos em grande quantidade é o açúcar.

Segundo a Embrapa, o consumo da sacarose cresceu significativamente nos últimos 60 anos. Em 1930, o brasileiro consumia, em média, 15 quilos por ano. Já em 1990, essa quantidade aumentou para 50 quilos, mais que o dobro da média mundial. A quantidade ideal por dia não deve ultrapassar 10% do total de calorias ingeridas durante as refeições, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Baseando-se em uma dieta de 2000 calorias por dia, a ingestão de açúcar deve ser no máximo 50 gramas, o equivalente a 12 colheres de chá. Em março deste ano, a OMS lançou um novo guia com recomendações do consumo de sacarose, no qual aconselham a ingestão de menos de 10% e sugere uma redução ainda maior, de 5%, para diminuir o risco de doenças.

Mercury (1)

A nutricionista Vanessa Mara Lodi afirma que para diminuir o consumo, as pessoas devem comer frutas na sobremesa ao invés de doces, substituir o açúcar normal por mel, adoçantes a base de sucralose ou açúcar orgânico que é menos prejudicial à saúde, moderar o consumo de sucos industrializados e cortar o refrigerante, que pode conter, em uma única lata 40 gramas de açúcar, 80% do consumo diário. Nos últimos seis anos, a população brasileira consumiu 20% a menos de refrigerante do que estava habituada, segundo a pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas, do Ministério da Saúde.

Diminuir a ingestão deste carboidrato não é muito fácil, pois ele está presente onde menos prestamos a atenção, nos alimentos considerados saudáveis. Barrinhas de cereal, iogurtes, granolas e gelatinas são sempre vistos nas dietas das musas fitness de hoje em dia e os fãs destas celebridades acabam adicionando-os na alimentação. Porém o que não sabem é que eles podem se tornar  tão vilões para a saúde quanto os doces e o refrigerante. A barrinhas de cereal, por exemplo, podem conter até 69% de açúcar em sua composição, muito mais que o sorvete que contém 20%.

Para mostrar o quanto e como os produtos saudáveis vendidos pela indústria fitness afetam o nosso corpo, o australiano Damon Gameau criou o documentário “That Sugar Film”. Por dois meses ele ingeriu 40 colheres de chá de açúcar por dia através destes alimentos e os efeitos na saúde que esse excesso de açúcar causou são preocupantes. Confira o trailer do documentário.

acar