Africanos representam a maior comunidade de estrangeiros na UFSC

Texto: Natália Pilati (natt.ufsc@gmail.com)
Fotos: Brenda Thomé (brendathome@gmail.com)

Fristtram Helder Fernandes é da Guiné-Bissau e estuda Ciências da Computação na UFSC há três anos. Ele e outros 58 africanos hoje matriculados na universidade vieram cursar o ensino superior como alunos regulares através do Programa de Estudantes Convênio de Graduação (PEC-G) do Ministério da Educação. O número representa dois terços do total de participantes atualmente inscritos na Federal pelo convênio, que é destinado a países em desenvolvimento da América Latina, Ásia e África.

Como a maioria dos estrangeiros, eles chegam cheios de dúvidas, tentando se adaptar a uma nova cultura e a novas rotinas longe de casa. No campus, acabam fazendo amizade e se aproximando de outros africanos que passam pela mesma situação. Da troca de experiências e do convívio surgiu a ideia de criar uma associação. “Nossos conterrâneos chegam perdidos e têm que se virar sozinhos; enfrentam problemas acadêmicos e sociais. Se tivermos uma associação para nos organizarmos e resolver as coisas em conjunto seria bem melhor. Já temos até uma página no site da universidade e em breve a Associação dos Estudantes Africanos do Estado de Santa Catarina vai ser oficial”, explica Fristtram.

Apesar de informais, as reuniões do grupo são muito mais do que churrascos entre amigos. Este é o sexto ano em que se juntam para promover palestras, debates e apresentações culturais no campus em comemoração ao Dia da África. A data, celebrada no dia 25 de maio, foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) e remete a um encontro entre líderes africanos em Adis Abeba, Etiópia, no ano de 1963 para a criação da Organização da Unidade Africana (OUA). “Para nós, esta data simboliza o dia em que a África se libertou da submissão política e cultural européia”, diz o estudante do curso de Ciências Sociais da UFSC, Ula Cá, que veio da Guiné-Bissau e ajuda a organizar o evento desde sua primeira edição, em 2008.

Dentre as autoridades presentes neste ano, estará o Ministro da Educação de Moçambique, Augusto Jone Luís, que estudou pedagogia na UFSC pelo convênio da universidade e ministrará a palestra Trajetórias e relevâncias das experiências acadêmicas e profissionais de ex-alunos do Programa de Estudantes Convenio de Graduação. “Com a independência, os países africanos começam a construir seus Estados-nação e para construir esse Estado, precisamos de profissionais qualificados; de conhecimento. O Brasil tomou a frente em abrir oportunidades nesse sentido através de acordos como o PEC-G. Quando voltarmos ao nosso país de origem podemos implementar o que aprendemos na academia”, completa Ula Cá.

Programação completa do evento que inicia hoje às 14h30 no auditório do Centro de Ciências da Educação

Confira fotos do evento:

[widgetkit id=1570]

Um comentário em “Africanos representam a maior comunidade de estrangeiros na UFSC

  • 25 de maio de 2013 em 14:58
    Permalink

    Parabéns para a comissão organizadora do dia da Africa e para os estudantes da Africa na UFSC. Que Deus abençoe cada um e que os seus planos e objetivos sejam alcançados. Parabéns mais uma vez. Feliz comemoraçao do dia da Africa.

    Resposta

Deixe uma resposta para Solomon Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.