Roselane Neckel e Lúcia Pacheco administram a UFSC nos próximos quatro anos

Written by cotidiano on . Posted in Arquivo, Reportagens

Texto: Marília Marasciulo ( mariliamarasciulo@gmail.com ) e Manuela Lenzi ( lenzimanu@hotmail.com )
Infográfico: Merlim Malacoski ( merlimiriane@gmail.com )
Storify: Merlim Malacoski ( merlimiriane@gmail.com ) e Jéssica trombini ( jehtrombini@gmail.com )
Se fosse uma cidade, a UFSC seria a quarta maior do estado, atrás apenas de Joinville, Blumenau e Florianópolis: 48 mil pessoas fazem parte da comunidade (docentes do ensino básico e superior, servidores técnico-administrativos e estudantes) e um orçamento bilionário é destinado a ela – R$ 1,05 bilhão para 2012. São 97 cursos de graduação e 57 de pós-graduação, com seis mil vagas anuais para o vestibular, nos campi de Florianópolis, Joinville, Araranguá e Curitibanos. E não são só esses números que impressionam.
Agora, essa “cidade” terá um novo “prefeito”, e em uma condição histórica: a professora Roselane Neckel será a primeira mulher a assumir a reitoria da Universidade, desde sua fundação em 1960. A cerimônia ocorre hoje, às 19h, no auditório Garapuvu, no Campus da Trindade, e terá transmissão ao vivo pelo site http://formaturas.ufsc.br. Na terça-feira, dia 8, a nova reitora foi empossada pelo ministro da Educação Aloizio Mercadante, junto com as novas reitoras da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) e da Federal de Rondônia (Unir) – leia e veja mais sobre isso abaixo.

A reitora foi eleita em novembro do ano passado, no segundo turno das eleições, com 52,47% dos votos (8121 dos 13549 válidos), contra os 47,53% recebidos pelo candidato Carlos Alberto Justo da Silva (Paraná, vice-reitor do mandato à época). Roselane era a única mulher entre os cinco candidatos e sob o slogan “a UFSC que queremos”, ela e a vice-reitora Lucia Pacheco apresentavam como proposta uma gestão mais transparente para a Universidade. Veja mais sobre as eleições aqui.
Para dar início a essa gestão, foi criado um comitê de transição, no final de janeiro, com diretores de centros, professores e alunos, que fizeram um levantamento para entender a situação de cada setor da UFSC. Entre as prioridades estabelecidas estão a infraestrutura, a gestão de pessoas e a criação de sistemas de integração dos dados da Universidade. Na semana passada, entre os dias 2 e 4 de maio, a equipe de transição realizou fóruns abertos à comunidade para apresentar os relatórios e promover discussões sobre diferentes temas: gestão de pessoas; graduação; políticas estudantis; pós-graduação e pesquisa; planejamento, infraestrutura e patrimônio; comunicação e cultura; relações institucionais e interinstitucionais; Hospital Universitário e gestão; e gestão dos campi.
Em entrevista ao TJ UFSC, Roselane disse que “a universidade é muito forte, é muito pujante. No entanto, nós temos problemas, sim, de gestão administrativa, que precisam ser mudados e reestruturados pra que a gente possa ser ainda mais pujante e ainda mais forte. Para além dos indivíduos, nós temos que ter uma grande instituição”. Doutora em História do Brasil, Roselane Neckel foi diretora do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFH) (eleita em 2008) e uma das organizadoras do livros UFSC: 50 anos – Trajetórias e Desafios. A vice-reitora Lucia Pacheco, do Departamento de Informática e Estatística, é formada em Engenharia Elétrica e Psicologia pela UFSC, com doutorado em Engenharia de Produção.
Reitoras mulheres no Brasil
O Brasil já apresenta 51% da população formada por mulheres, são mais de 97 milhões pessoas, é o que revela o último Censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Existe um excedente de quase 4 milhões em relação aos homens. Esse quadro, no entanto, não se repete em relação ao número de reitores das universidades federais. Das 59 instituições do país, apenas 13 são comandadas por mulheres. Passe o mouse pelo mapa e saiba que instituições são essas.