Hotéis de Santa Catarina se preparam para receber a Copa

Written by cotidiano on . Posted in Arquivo, Reportagens

Santa Catarina possui três locais com o contrato de adesão do Comitê Organizador Local (COL) assinado e que podem ser um dos 32 Centros de Treinamento de Seleções na Copa do Mundo de 2014. Florianópolis e Joinville fazem parte da primeira lista do Catálogo Oficial divulgado pela FIFA. Atualmente são 54 locais, mas pelo menos 80 devem integrar a relação final — o número mínimo exigido é 64.

A partir deste mês as Seleções já podem comunicar à Fifa suas preferências. Porém, a escolha definitiva acontecerá após o sorteio dos grupos, previsto para dezembro de 2013, na Costa do Sauípe, na Bahia. As seleções terão até janeiro de 2014, data em que os países saberão em quais cidades vão jogar, para optarem por um local onde se hospedar e treinar durante o Mundial.

Os locais catarinenses continuam se preparando para garantir que sejam escolhidos por uma das delegações que disputarão o Mundial. Em Joinville, o Bourbon Joinville Business Hotel foi classificado para ser um dos Centros. “Dentro da nossa proposta de atendimento e estrutura de serviço, já esperávamos por esta classificação”, declarou Sandra Boing, gerente de contas do hotel. Caso a cidade seja escolhida, os treinos serão realizados no Estádio Municipal Arena Joinville que fica a 7 minutos do hotel e a 21 do aeroporto Lauro Carneiro de Loyola. A Fifa exige que a distância entre hotel e campo deve ser de até 20 minutos e entre o hotel e o aeroporto internacional mais próximo não deve ser maior do que uma hora.
Divulgação: Bourbon Joinville Business Hotel

No processo de candidatura, o Bourbon contou com o apoio da Fundação Turística de Joinville (PROMOTUR). “Num primeiro momento, todos os trâmites foram encabeçados pela Promotur. Primeiro foi feita uma inspeção agendada pela comissão técnica da FIFA e acompanhada por membro da Promotur. Num segundo momento, a comissão técnica fez nova visita, mas sem agendamento prévio”, informou Sandra.

O Hotel e a Arena Joinville cumprem às exigências da FIFA e não precisam passar por nenhuma adequação. “Porém, caso haja necessidade, o Hotel fará os devidos ajustes, para melhor atender. É um privilégio para o Bourbon Joinville ser escolhido como um dos hotéis. Haverá um fortalecimento da marca e o reconhecimento pelos serviços prestados”, conclui.

Em Florianópolis dois locais estão habilitados para receber seleções na Copa 2014. O Majestic Palace, localizado a 25 minutos do aeroporto e a 15 do Estádio Orlando Scarpelli, local de realização dos treinos, iniciou o processo há dois anos. “Como temos estrutura para ser um dos hotéis oficias fizemos toda a parte burocrática de dar entrada no processo. Recebemos visita, foi verificado tudo e assinamos o contrato. Seria muito bom receber uma seleção, mas só estar junto desse processo já é bem interessante, na questão da mídia espontânea”, declarou Angelo Toppan, gerente comercial do Majestic.

Majestic Palace Hotel

A segunda etapa de avaliação e inspeção da FIFA será relacionada à segurança dentro dos locais de hospedagem e no entorno dos hotéis e centros de treinamento, o que será realizado após a escolha das seleções. O serviço de proteção será feito pelo setor público,  juntamente com o Cômite Organizador Local (COL). Questionado sobre o atraso na ampliação do Aeroporto Hercílio Luz, Angelo acredita que isto não influenciará na decisão das seleções. “A questão da infraestrutura não é só em Florianópolis. Você também tem outras cidades que não estão 100%. Então, não vejo realmente como problema. É um impasse no geral, não só na questão da Copa do Mundo. Mas não foge de qualquer problema que não tenha em outra cidade. Agora, não cabe à mim dar essa opinião. Eu tenho que fazer o trabalho em relação ao empreendimento aqui. E é o que a gente está fazendo.”

A outra sede de hospedagem e centro de treinamento é o Resort Costão do Santinho Golf & SPA, localizado a 40 minutos do aeroporto Hercílio Luz. O hotel está em processo de ajustes às exigências da FIFA. De acordo com o diretor comercial do Resort, Rubens Régis, o primeiro processo é adequar-se ao que a Federação determina. “Nós temos um campo de futebol e vamos ter que ajustar no padrão FIFA. Também construíremos um segundo campo dentro do mesmo padrão. Este é o processo. O campo já está em construção e será entregue até o ano que vem certamente. Até o sorteio das chaves estará completamente pronto”.

Divulgação: Costão do SantinhoPor oferecer local de treino e hospedagem no mesmo lugar, Rubens acredita que o Resort tem grandes chances de ser escolhido. “Como a procura é por locais do estilo do Costão, que permitam tudo num único local, treinamento, hospedagem, alimentação, academia de ginástica, nós temos tudo junto e por isso já saímos na frente de outros que não têm. Esta é a arma que utilizamos para ter convicção de que receberemos uma seleção. Mas a certeza não existe”.

Apesar da dúvida, Rubens acredita que o Estado tem condições de receber até duas seleções. “Pela localização estratégica do nosso estado. Imagine os times que vão jogar no sul e sudeste, a gente está à uma hora de voo para uma série de sedes. Então eu acho que temos grandes chances sim. Florianópolis tem muito voo regular para São Paulo, Rio, Brasília o que favorece as ligações e a locomoção das pessoas. Na verdade, quando a seleção vem ela agrega outras coisas. Ela vai trazer seus patrocinadores, patrocinadores da copa do mundo, a imprensa… Você vai ter de 4 a 5 mil pessoas paradas aqui. Quando essa seleção sair daqui para jogar em Belo Horizonte, por exemplo, vai ter 4 mil pessoas viajando para lá. Por isso tem que ter uma malha aérea realmente forte que permita essa locomoção e Florianópolis tem.”

No entanto, o atraso na ampliação do aeroporto pode comprometer na hora de uma seleção escolher a cidade, pois cada delegação vem com seu próprio avião que permanecerá estacionado no pátio do aeroporto no período que a seleção estiver hospedada, saindo apenas na véspera do jogo.

“Se você pensar em terminais de passageiros, não (compromete). Mas, se você pensar em ampliação, principalmente pátios de estacionamento de aeronaves, sim. Se nós não tivermos ampliação, nós não seremos sede. Esse avião vai ter que parar aqui e nós não temos lugar para parar avião hoje. Dentro da estrutura atual, nosso aeroporto não tem. A noite ele está totalmente lotado e não tem onde deixar uma aeronave. Então, o pátio é fundamental. Mas, eles estão garantindo essa primeira etapa estará pronta até a Copa. Por isso, nós estamos relativamente tranquilos porque me parece que a obra já está licitada, já está em processo de instalação de canteiro de obras. Pelo menos é o que a gente tem escutado da administração da Infraero.”

Ampliação do Aeroporto Internacional Hercílio Luz

A obra de ampliação está dividida em três etapas. A primeira, que inclui a terraplanagem, a construção do pátio, da pista de Táxi Way e de rolagem e o estacionamento de veículos teve início em junho e deve estar concluída em março de 2014. A segunda etapa envolve a construção do novo terminal que terá capacidade para 6,7 milhões de passageiros/ano, e a terceira, a automação predial.

De acordo com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) o cronograma da obra do novo terminal de passageiros do Aeroporto Internacional Hercílio Luz estabelece que ele entrará em operação no final de 2014. Porém, não deve afetar o recebimento de uma seleção, que possa ficar concentrada na cidade. “A demanda de torcedores que possam vir para Florianópolis, para acompanhar uma seleção será semelhante a quantidade de pessoas que o aeroporto recebe em uma temporada de veraneio. Isto só virá a favorecer o Estado de SC e Florianópolis, pois, a Copa do Mundo será realizada em julho, que como mês de junho, são os dois piores meses de movimento para o aeroporto.  Para se ter uma ideia, se compararmos o movimento de julho (baixa temporada) com janeiro (pico da temporada), veremos que o movimento de passageiros tem uma diferença de 58%.”, informa a Infraero.

Sobre a demanda que deve ocorrer, caso haja um local eleito em Florianópolis, a Infraero informa que “quanto ao movimento de aeronaves é importante lembrar que na temporada de veraneio o Aeroporto Internacional de Florianópolis chega a operar mais de 1.000 voos charters (voos extras, sazonais)”.